Revista PIB

Faça da Revista PIB a sua home page Quarta, 15 de Agosto de 2018

 

16/07/2012

Venda de cachaça para os EUA cresce 12,62%

O resultado refere-se ao primeiro semestre deste ano, quando comparado ao mesmo período de 2011



Os produtores acreditam que as exportações para os Estados Unidos foram alavancadas pelo reconhecimento da bebida naquele mercado como "genuinamente brasileira", com direito a imprimir no rótulo a palavra "cachaça", o que ocorreu oficialmente em abril, durante a visita de Barack Obama. Antes disso a nossa pinga era chamada "braziliam rum", pois a legislação americana inseria os dois produtos (rum e cachaça) na mesma categoria por terem a cana-de-açúcar como matéria prima comum. A partir do reconhecimento, os destilados de cana identificados como cachaça só podem ser vendidos nos Estados Unidos se foram produzidos no Brasil. “Mesmo com o crescimento da exportação para os Estados Unidos, o valor alcançou pouco mais de US$ 1 milhão neste ano. Em princípio, a mudança é importante para evitar que a cachaça se torne mais uma bebida destilada genérica, como a vodca”, explica o presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Cachaça, Vicente Bastos Ribeiro. Para ele, a presença do nome "cachaça" poderá acelerar o crescimento do mercado pelos próximos dois anos.


E este crescimento será bem vindo para o Brasil, que tem capacidade de produção instalada de 1,2 bilhão de litros de pinga, mas exporta menos de 1% disso anualmente. Mesmo assim, o produto chega a mais de 60 países, principalmente Alemanha, Estados Unidos, Portugal e França. Em 2011 cerca de 90 empresas exportaram um total 9,80 milhões de litros, gerando uma receita de US$ 17,3 milhões. Desse total, pouco mais de 10% foi vendido para os Estados Unidos. A primeira cachaça foi fabricada oficialmente em 1536. A produção está concentrada em empresas familiares, regionais, e muitas de pequeno porte. Estima-se que existam mais de 30 mil produtores e 4 mil marcas de cachaça no Brasil. As microempresas correspondem a 99% do total de produtores. Suas atividades agropecuárias incluem a produção de milho, feijão, café, e leite, entre outras, e a produção de cachaça. Depois da cerveja, a cachaça é a segunda bebida alcoólica mais consumida. São Paulo é o maior produtor de cachaça industrial. Minas Gerais é o Estado mais especializado na produção de cachaça artesanal. O setor da cachaça é responsável pela geração de mais de 600 mil empregos diretos e indiretos.


 


Leia mais:
Depois da caipirinha, EUA descobre a cachaça envelhecida (12/07)
Ypióca, quem diria, agora é gringa (PIB 18)






28/06/2016 -   FIESP destaca a importância da logística para a retomada do crescimento
02/05/2016 -   Movimat divulga detalhes da feira de setembro
31/03/2016 -   Em 15 anos, a Votorantim e a Intercement chegaram ao grupo dos 20 maiores produtores do mundo
03/10/2015 -   A Ásia são muitas
03/10/2015 -   Restaurantes, galerias, praias e parques de Miami
03/10/2015 -   O caminho da diferença
03/10/2015 -   O mundo é Azul
03/10/2015 -   Voando sobre o mundo
03/10/2015 -   De olho no mundo
01/10/2015 -   Um Calatrava no Rio
29/09/2015 -   Passage to India
29/09/2015 -   A bigger share, please?
Totum Editora Revista PIB - 2009 © Todos os Direitos Reservados