Revista PIB

Faça da Revista PIB a sua home page Segunda, 20 de Novembro de 2017

 

Laboratório brasileiro na rede global da IBM

O Brasil passou a fazer parte da rede científica mundial da IBM no ano passado, quando foi criado aqui um laboratório de pesquisas da empresa — o nono do mundo (o Centro de Operações do Rio foi um dos primeiros projetos nos quais o laboratório brasileiro trabalhou).

Armando Mendes
Clementi: oportunidades únicas no Brasil

Cientistas brasileiros baseados em São Paulo e no Rio podem agora participar de projetos internacionais em parceria com colegas de outros países e também desenvolver pesquisas próprias, explica Erich Clementi, vice-presidente global de serviços da empresa.     


  


•O crescimento econômico do Brasil tem promovido a expansão de empresas brasileiras pelo mundo, como parte das “multinacionais emergentes”. Como a IBM participa dessa expansão?  


Uma das razões pelas quais a IBM tem sido bem-sucedida há 100 anos é nossa capacidade de entender o mercado, reagir e nos transformar de acordo com as necessidades dos clientes. Abrimos nosso primeiro escritório brasileiro em 1917. O Brasil tem dinâmicas de negócios interessantes: estabilidade econômica, maturidade do mercado consumidor doméstico e abundância de recursos naturais. Vemos espaço para a adoção de tecnologias para que cidades e empresas brasileiras trabalhem de maneira mais inteligente.


 


•A IBM criou um Laboratório de Pesquisas no Brasil. Que tipo de pesquisas ele fará para responder às demandas brasileiras?   


Este é o primeiro laboratório de pesquisas da IBM no Hemisfério Sul. Sua equipe foca quatro áreas: a descoberta, exploração e logística de recursos naturais; dispositivos inteligentes na área de semicondutores; inovação com ênfase em eventos de grande escala, como a Copa do Mundo 2014 e as Olimpíadas de 2016; e serviços dirigidos à compreensão, modelagem e simulação de sistemas que buscam aperfeiçoar a qualidade, a eficiência e a produtividade. O sistema de previsão PMAR, desenvolvido para o Centro de Operações do Rio de Janeiro, já é uma conquista importante atingida pelo laboratório brasileiro (leia o texto principal).  


 


•O Brasil foi o terceiro grande país emergente a receber um laboratório de pesquisas da IBM, depois da China e da Índia (12 anos depois da Índia, de fato). Por que demorou tanto?  


Não posso falar pelos meus colegas da área de pesquisa que tomam as decisões de investimento. Mas posso dizer que o laboratório brasileiro está integrado à organização global de pesquisa e desenvolvimento da IBM para promover a investigação científica sobre alguns dos grandes desafios do planeta. A abundância de recursos naturais e de talento técnico do Brasil oferece oportunidades únicas. Combinada com a economia estável, apoio governamental à inovação e desenvolvimento robusto, isso criou um forte argumento em favor desse investimento.



28/06/2016 -   FIESP destaca a importância da logística para a retomada do crescimento
02/05/2016 -   Movimat divulga detalhes da feira de setembro
03/10/2015 -   Restaurantes, galerias, praias e parques de Miami
03/10/2015 -   A Ásia são muitas
03/10/2015 -   De olho no mundo
03/10/2015 -   Voando sobre o mundo
03/10/2015 -   O mundo é Azul
03/10/2015 -   O caminho da diferença
01/10/2015 -   Um Calatrava no Rio
29/09/2015 -   Hungry and with a big appetite
29/09/2015 -   A bigger share, please?
29/09/2015 -   Passage to India
Totum Editora Revista PIB - 2009 © Todos os Direitos Reservados