Revista PIB

Faça da Revista PIB a sua home page Segunda, 20 de Novembro de 2017

 

O que os jovens pensam

A primeira edição do Youth Barometer, estudo encomendado a um instituto de pesquisa pelo Credit Suisse, foi realizada em 2010 e teve como principal tema o mundo virtual – The internet sets global trends but does not resolve local problems (A internet cria tendências globais, mas não resolve problemas locais). Nela já constava a opinião de 761 jovens brasileiros. Neste ano, o banco definiu como assunto central do estudo a religião.

Suzana Camargo
Revista do Credit Suisse: pesquisa no Brasil

Mesmo morando em países distantes, muitos adolescentes compartilham sonhos, angústias e ideais comuns a essa etapa da vida. Entretanto, jovens que vivem em países tão diferentes como o Brasil, os Estados Unidos e a Suíça também carregam traços culturais, crenças e preocupações particulares. Quando questionados, no ano passado, sobre o que mais os afligia naquele momento, 62% dos jovens brasileiros foram taxativos em apontar a corrupção como o principal problema a ocupar sua atenção. Em seguida, apareciam desemprego (46%), problemas de saúde (41%), aposentadoria (30%), criminalidade (29%) e educação (28%). Enquanto isso, o terrorismo encabeçava a lista para 67% dos adolescentes americanos. Para os suíços, que sempre viveram em uma sociedade extremamente fechada e conservadora, a integração com os estrangeiros fica em primeiro lugar entre as preocupações: 72% deles disseram que o crescimento no número de estrangeiros no país poderia ser problemático.


Para o Credit Suisse, saber quem são e o que pensam os jovens desses três grandes mercados é vital. Quando foram analisadas as respostas dos jovens brasileiros, os suíços responsáveis pela encomenda da pesquisa ficaram surpresos em saber que a corrupção tinha sido apontada como um grave problema. Para quem vive e trabalha no Brasil, não há nenhuma surpresa nesse resultado. Já para quem mora na controlada Suíça, essa parece ser mesmo uma realidade muito distante.


Este ano, o Youth Barometer entrevistou um universo maior de jovens: foram ouvidos 1.018 adolescentes sobre o tema religião. A pesquisa revela que, apesar das dificuldades, os brasileiros são otimistas e têm fé no futuro. Para 93% deles, honestidade e relações familiares são primordiais na vida. Ter uma boa educação, capacitação futura e ser capaz de viver de acordo com crenças religiosas e valores espirituais são igualmente importantes.


Sobre o tema central da pesquisa, 88% dos adolescentes brasileiros afirmaram acreditar na existência de um Deus, número muito superior ao de suíços (43%) e norte-americanos (69%). Historicamente mais acostumados a conviver com diferentes credos e raças, fator ainda distante da realidade suíça, 83% dos brasileiros pesquisados concordam que deve haver liberdade religiosa para todos, e 81% acreditam numa coexistência pacífica entre os praticantes de diferentes religiões.


Com sede em Zurique, o Credit Suisse está dando o passo certo ao tentar conhecer mais a cultura dos países em que pretende fazer negócios. Enquanto os jovens brasileiros pregam a liberdade religiosa, em 2010 os suíços (de todas as idades) aprovaram em plebiscito popular a proibição da construção no país de novos minaretes, as torres símbolos das mesquitas, de onde os muezins conclamam os mulçumanos às orações.



28/06/2016 -   FIESP destaca a importância da logística para a retomada do crescimento
02/05/2016 -   Movimat divulga detalhes da feira de setembro
03/10/2015 -   Voando sobre o mundo
03/10/2015 -   O mundo é Azul
03/10/2015 -   O caminho da diferença
03/10/2015 -   Restaurantes, galerias, praias e parques de Miami
03/10/2015 -   A Ásia são muitas
03/10/2015 -   De olho no mundo
01/10/2015 -   Um Calatrava no Rio
29/09/2015 -   Hungry and with a big appetite
29/09/2015 -   A bigger share, please?
29/09/2015 -   Passage to India
Totum Editora Revista PIB - 2009 © Todos os Direitos Reservados