Revista PIB

Faça da Revista PIB a sua home page Sexta, 24 de Novembro de 2017

 

23/08/2011

Empresas brasileiras que atuam na Líbia aguardam desfecho de crise

A Odebrecht, a Queiroz Galvão e a Petrobras informaram que acompanham a situação para definir ações futuras


Empresas brasileiras que mantêm operações com a Líbia aguardam o desfecho da crise política no país e as perpespectivas de normalização para decidir quando e como voltar a atuar na região. A Odebrecht, a Queiroz Galvão e a Petrobras informaram, por meio de suas assessorias de imprensa, que acompanham a situação para definir ações futuras.

A assessoria da Odebrecht, que é responsável pela construção de um aeroporto internacional e do anel viário na capital líbia, Trípoli, disse que as operações estão suspensas desde que a crise eclodiu, em fevereiro. Também em fevereiro a Queiroz Galvão retirou seus funcionários do país, incluindo 130 que viviam na cidade de Benghazi, a segunda maior do país, no Leste da Líbia.

Ontem, a assessoria da estatal petrolífera líbia, Agoco – que está do lado dos rebeldes –, indicou que a demora brasileira em reconhecer oficialmente a queda do regime de Muammar Khadafi pode prejudicar os interesses do país na Líbia. O governo brasileiro observa com cautela os movimentos e faz consultas para definir a posição a ser assumida. Por enquanto, não houve reconhecimento oficial à legitimidade da oposição como novo governo da Líbia.

Com informações da Agência Brasil e BBC Brasil



28/06/2016 -   FIESP destaca a importância da logística para a retomada do crescimento
02/05/2016 -   Movimat divulga detalhes da feira de setembro
03/10/2015 -   O mundo é Azul
03/10/2015 -   O caminho da diferença
03/10/2015 -   Restaurantes, galerias, praias e parques de Miami
03/10/2015 -   A Ásia são muitas
03/10/2015 -   De olho no mundo
03/10/2015 -   Voando sobre o mundo
01/10/2015 -   Um Calatrava no Rio
29/09/2015 -   A bigger share, please?
29/09/2015 -   Passage to India
29/09/2015 -   Hungry and with a big appetite


Totum Editora Revista PIB - 2009 © Todos os Direitos Reservados