Revista PIB

Faça da Revista PIB a sua home page Sexta, 22 de Junho de 2018

 

17/06/2011

Ban Ki-moon elogia a atuação internacional do Brasil

Na sua primeira manifestação pública no Brasil, o secretário-geral da ONU defendeu a reforma no Conselho de Segurança

Na sua primeira manifestação pública no Brasil, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, de 66 anos, defendeu a reforma no Conselho de Segurança, ampliando seu formato. Ban Ki-moon disse que a atual estrutura do órgão – formada por 15 integrantes – não reflete as mudanças estruturais dos últimos 65 anos. Mas, após elogiar a atuação do Brasil no cenário internacional, ele evitou apoiar a candidatura brasileira a um assento permanente no órgão.

Ban Ki-moon optou por um discurso genérico em que afirmou ser necessário compor o órgão de forma mais “representativa e pluralista”. O secretário-geral elogiou o desempenho do governo brasileiro em iniciativas de defesa da paz, da segurança e de combate à fome no mundo. Segundo ele, os países latino-americanos desempenham “cada vez mais” um papel “mais forte nas relações multilaterais”.

“É necessário acelerar as negociações. É certo que o Brasil pode contribuir ainda mais”, afirmou o secretário-geral da ONU, depois de almoço, no Palácio Itamaraty, no qual estavam presentes os ministros Antonio Patriota (Relações Exteriores), Nelson Jobim (Defesa), Maria do Rosário (Direitos Humanos) e Izabella Teixeira (Meio Ambiente), além do presidente da Comissão de Relações Exteriores no Senado, Fernando Collor de Mello (PTB-AL).

Ban Ki-moon fica até hoje em Brasília e sua agenda inclui reuniões ainda nesta tarde com a presidenta Dilma Rousseff e os presidentes da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), e do Senado, José Sarney (PMDB-AP). É a terceira visita dele ao Brasil e a segunda a Brasília.

A visita do secretário-geral ao Brasil é a última etapa de uma série à América do Sul, por onde ele passou pela Colômbia, Bolívia, Argentina e pelo Uruguai. Na Argentina, devido à nuvem de cinzas do Vulcão Puyehue, que toma conta de parte do país, ele enfrentou nove horas de viagem de ônibus, do interior até a capital, Buenos Aires. No Uruguai, ele viajou de barco.

Em campanha pela reeleição como secretário-geral, Ban Ki-moon está à frente das Nações Unidas há quatro anos. O mandato é de cinco anos. Se reeleito, o coreano ficará no cargo até o final de 2016. Ele é o oitavo secretário-geral da ONU.

Com informações da Agência Brasil


28/06/2016 -   FIESP destaca a importância da logística para a retomada do crescimento
02/05/2016 -   Movimat divulga detalhes da feira de setembro
31/03/2016 -   Em 15 anos, a Votorantim e a Intercement chegaram ao grupo dos 20 maiores produtores do mundo
03/10/2015 -   O caminho da diferença
03/10/2015 -   O mundo é Azul
03/10/2015 -   Voando sobre o mundo
03/10/2015 -   De olho no mundo
03/10/2015 -   A Ásia são muitas
03/10/2015 -   Restaurantes, galerias, praias e parques de Miami
01/10/2015 -   Um Calatrava no Rio
29/09/2015 -   Passage to India
29/09/2015 -   A bigger share, please?
Totum Editora Revista PIB - 2009 © Todos os Direitos Reservados