Revista PIB

Faça da Revista PIB a sua home page Quarta, 15 de Agosto de 2018

 

26/03/2009

Brown quer fundo de US$ 100 bi para sustentar o comércio global

Primeiro-ministro britânico apresentou proposta a Lula e vai levá-la ao G20

Brown e Socrates no Pacaembu: camisa 10 para o primeiro-ministro

O primeiro ministro da Grã-Bretanha, Gordon Brown, propôs ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva a criação de um fundo de US$ 100 bilhões para estimular o comércio global.
 
Brown encontrou-se com Lula em Brasília e disse depois, em entrevista ao lado do presidente, que pretende apresentar sua proposta aos líderes do G20 - as maiores economias do mundo, desenvolvidas e emergentes  - que vão se reunir em Londres na semana que vem para discutir saídas para a crise financeira.


Culpa dos ricos

Lula voltou a acusar os países ricos pela crise financeira global. Não há banqueiros negros ou índios, disse Lula, e não é justo que os pobres paguem pela retração econômica.

“É uma crise causada, fomentada por comportamentos irracionais de gente branca de olhos azuis que antes da crise parecia que sabiam tudo e que agora demonstram não saber nada”, afirmou o presidente.

Lula e Brown fizeram um apelo para que a Rodada Doha da Organização Mundial do Comércio seja concluída, como forma de combater o protecionismo e os efeitos da crise sobre as trocas comerciais globais.


Apoio brasileiro

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, disse que o fundo proposto pelo primeiro-ministro britânico tem a simpatia do governo brasileiro. Segundo Amorim, o presidente Lula disse a Brown que o Brasil não se negará a contribuir para o fundo se outros países e organizações fizerem sua parte.

A idéia de Brown é que, além de países, as agências de crédito, os organismos multilaterais e o setor privado também contribuam para a formação do fundo.

“É o mínimo que precisamos para aumentar o fluxo do comércio global nos próximos meses”, disse Brown, lembrando que, pela primeira vez nos últimos 30 anos, espera-se em 2009 uma queda nos fluxos globais do comércio.


Futebol e crise

O primeiro-ministro britânico disse que veio ao Brasil por causa da importância do país na economia mundial. Para Brown, o Brasil e outros países emergentes têm papel fundamental na superação da crise, uma vez que respondem por 70% do crescimento global.

Depois do encontro com Lula, o primeiro-ministro seguiu para São Paulo, onde visitou o Museu do Futebol, no estádio do Pacaembu, e conheceu projetos de inclusão social baseados no esporte. Brown ganhou do ex-jogador Sócrates uma camisa 10 da Seleção Brasileira com o nome do primeiro-ministro.

com informações da Agência Brasil

fotos: Valter Campanato/ABr (interna) e Roosewelt Pinheiro/Abr (home)



28/06/2016 -   FIESP destaca a importância da logística para a retomada do crescimento
02/05/2016 -   Movimat divulga detalhes da feira de setembro
31/03/2016 -   Em 15 anos, a Votorantim e a Intercement chegaram ao grupo dos 20 maiores produtores do mundo
03/10/2015 -   A Ásia são muitas
03/10/2015 -   Restaurantes, galerias, praias e parques de Miami
03/10/2015 -   O caminho da diferença
03/10/2015 -   O mundo é Azul
03/10/2015 -   Voando sobre o mundo
03/10/2015 -   De olho no mundo
01/10/2015 -   Um Calatrava no Rio
29/09/2015 -   Passage to India
29/09/2015 -   A bigger share, please?
Totum Editora Revista PIB - 2009 © Todos os Direitos Reservados