Revista PIB

Faça da Revista PIB a sua home page Domingo, 21 de Janeiro de 2018

 

Viagem executiva

Toque para Havana e vá dando adeusinho à multidão!

Marco Rezende
Vá dando adeusinho à multidão

DESTINO


Toque para Havana!


Cuba caminha a passos curtos, mas inevitáveis, para se tornar uma mini-China no Caribe, com a fórmula "ganhe dinheiro e não conteste o poder do partido". A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) tem na capital cubana um de seus sete escritórios internacionais, e muitas empresas brasileiras já estão fazendo bons negócios com a crescente abertura econômica na ilha dos irmãos Castro. O que faltava até agora – uma ligação aérea direta entre e o Brasil e Cuba – não falta mais. Depois de um hiato de oito anos, a empresa Cubana de Aviación inaugurou, em julho, um voo semanal São Paulo–Havana, com saída às 2h50 de quinta-feira. Em sua primeira fase no Brasil, de 1993 a 2005, a Cubana usava velhos aparelhos Ilyushin 62, de fabricação soviética. Ainda se fumava a bordo e era comum ver o comandante sair da cabine durante o voo para fumar charutos com amigos na classe executiva. Agora os voos são operados com modernos Ilyushin 96-300, quadrimotores de 262 passageiros. São aviões novos e seguros, mas há menos de duas dúzias deles voando no mundo: as próprias companhias russas preferem comprar jatos Airbus ou Boeing.



TRANSFER


Vá dando adeusinho à multidão


Se você for o dono da empresa onde trabalha, esta nota pode ser de seu interesse. The Milestone Hotel, localizado ao lado do Kensington Palace (onde moram Kate e William), em Londres, e considerado o melhor hotel pequeno da Inglaterra no ano passado pela revista Conde Nast Traveler, oferece a possibilidade de um transfer mais típico da realeza que do mundo executivo. Ao chegar no trem Heathrow Express à estação central de Paddington, o hóspede que reservar o serviço (ao custo de 1.275 dólares) encontra um mordomo que o acompanha a uma carruagem puxada por dois cavalos – e é assim que ele chega ao hotel para o check-in. Uma versão simples, mas igualmente exótica (e com mais adrenalina) de transfer londrino é oferecida pela empresa aérea Virgin Atlantic: do aeroporto de Heathrow ao seu hotel na garupa de uma moto Yamaha 1300 cc, com capacete dotado de comunicação com o piloto, roupa de proteção (até um cobertor em dias frios) e espaço para bagagem de mão. Custa o equivalente a 125 dólares, mas é grátis para a classe executiva.



COMPRAS


Negócio de português


Se sobrar tempo depois do trabalho em Lisboa, mas faltar dinheiro, um bom endereço para comprar roupas e presentes baratos é o megashopping Freeport, o maior outlet da Europa, em Alcochete. Fica do outro lado da Ponte Vasco da Gama, na margem sul do Tejo. Não espere grifes de luxo, mas entre as quase 150 lojas estão as principais marcas esportivas e boas lojas de roupas. O Freeport foi aberto há cerca de nove anos, quase quebrou em 2007, mas renasceu ao ser comprado pelo gigante americano de investimentos The Carlyle Group. No outlet há quase duas dezenas de restaurantes, nenhum digno de nota.



CIDADES


Los Angeles avança


Talvez não haja nada tão novo ou grandioso na caleidoscópica cidade desde que J. Paul Getty lhe deu de presente o fabuloso museu que leva seu nome (1997) e inaugurou-se o Walt Disney Concert Hall (2003). A primeira novidade é o novíssimo terminal do aeroporto internacional de Los Angeles (LAX no jargão aeronáutico), o chamado Great Hall. Além de quase 150 portões de embarque e o inevitável e irresistível shopping mall, tem boa arquitetura, muita luz natural e bons restaurantes, inclusive um sushi bar abastecido com peixes frescos que chegam várias vezes por dia diretamente de Tóquio. A outra novidade em Los Angeles é o museu de arte contemporânea chamado The Broad, que deverá abrir em 2014. O prédio, branco, parece uma imensa colmeia flutuando no espaço (criação do escritório nova-iorquino de design e arquitetura Diller Scofidio + Renfro). Vai abrigar a coleção do casal de filantropos Eli e Edythe Broad, que para deixar o legado ao novo museu doou à cidade 2 bilhões de dólares e 2 mil obras de artistas contemporâneos, como Lichtenstein, Koons e Basquiat.



RANKING


Aê, Floripa!


A revista americana de viagem Conde Nast Traveler pediu a seus leitores para apontar as cidades mais e menos "friendly" do mundo. Mais de 46 mil responderam, com base em sua experiência pessoal de viagens. A cidade menos acolhedora do mundo, segundo a pesquisa, é Newark, aquela aglomeração urbana mal-ajambrada que fica na outra margem do Rio Hudson, diante de Manhattan, conhecida, sobretudo, por abrigar o segundo grande aeroporto internacional na região de Nova York. E no topo da lista, como a cidade mais acolhedora e amigável do mundo, aparece a brasileiríssima Florianópolis.


A lista completa e comentada das 20 mais e das 20 menos está no site da CNN: edition.cnn.com/2013/08/07/travel/unfriendly-cities/index.html.



Santur


HOTÉIS


Charme discreto no emirado


Hospedar-se no Burj Khalifa, aquele hotel em forma de vela naval que é o ícone arquitetônico de Dubai, garante vista espetacular da cidade, mas, óbvio, não do próprio hotel. No recém-inaugurado The Oberoi, num complexo que inclui também um centro comercial e torre de escritórios, tem-se vista igualmente espetacular do skyline de Dubai e, de quebra, do mítico Burj Khalifa. Os apartamentos do Oberoi sao envidraçados do chão ao teto, e seu ambiente poderia ser definido como de "luxo contemporâneo", mistura de atenção aos detalhes com elegância recatada.



PASSAGENS AÉREAS


Qual a hora certa de comprar?


Todo mundo gosta de pagar a menor tarifa possível na hora de comprar o bilhete de avião, mas como acertar, se para um mesmo voo há dezenas, senão centenas, de preços, dependendo da antecedência, época do ano, dia da semana e até hora da compra? Não há pesquisa sobre o tema no Brasil, mas algumas recentes feitas nos Estados Unidos (a dinâmica tarifária brasileira copia a americana) mostra que é péssimo comprar na última hora ou com excessiva antecedência. Pesquisa do site de viagens Kayak encontrou as melhores tarifas entre 21 e 34 dias para voos domésticos e internacionais, respectivamente. Segundo pesquisa de outro site, CheapAir.com (usando algoritmos analisou 590 milhões de compras), na média, a melhor tarifa aparece 49 dias antes do voo. Pesquisadores da Universidade do Texas comprovaram o que todos sabem: fins de semana são bons para achar tarifas promocionais.



TECNOLOGIA


Mala nada mala


Fundada há apenas um ano, a fabricante de malas americana VisionAir inovou no modelo PodPal, em tamanho que permite ser levada a bordo. É leve e resistente (feita de policarbonato), com quatro rodinhas que giram em todas as direções (útil na hora de virar no corredor do avião para não ir batendo em todas as poltronas do corredor). Apesar de cara (480 dólares nos Estados Unidos), tem uma atração exclusiva: dock station para todos os modelos de tablets, inclusive iPad. (www.visionairluggage.com/hardside.html)



28/06/2016 -   FIESP destaca a importância da logística para a retomada do crescimento
02/05/2016 -   Movimat divulga detalhes da feira de setembro
03/10/2015 -   A Ásia são muitas
03/10/2015 -   De olho no mundo
03/10/2015 -   Voando sobre o mundo
03/10/2015 -   O mundo é Azul
03/10/2015 -   O caminho da diferença
03/10/2015 -   Restaurantes, galerias, praias e parques de Miami
01/10/2015 -   Um Calatrava no Rio
29/09/2015 -   Hungry and with a big appetite
29/09/2015 -   A bigger share, please?
29/09/2015 -   Passage to India


Totum Editora Revista PIB - 2009 © Todos os Direitos Reservados